Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

|| DreamAchieve || Performance Coaching

Psicologia do Desporto e Performance || Coaching Desportivo e Executivo || Formação

|| DreamAchieve || Performance Coaching

Psicologia do Desporto e Performance || Coaching Desportivo e Executivo || Formação

A GRANDEZA

image.png

A partir do momento em que começas a meter em prática os factores que te levam ao sucesso, começas a obter resultados. Primeiro mais pequenos e depois maiores, com mais impacto para ti e para quem te vê a avançar.

 

Quando ganhas algo, a expectativa de quem te rodeia é que voltes a ganhar. Se ganhas duas vezes, esperam que ganhes três... Esperam que ganhes sempre! E quando não consegues, esperam ansiosamente para trocar os aplausos por críticas...

 

Acontece em todo o lado, a título de exemplo, aconteceu com atletas olímpicos.. Acontece com políticos, acontece com pais relativamente a filhos, quando estes por alguma razão tiram uma nota menos boa.

 

Por isso que gosto de falar de um ingrediente essencial para quem quer alcançar a grandeza:

 

Ignorar opiniões alheias!

 

A verdade é que as expectativas dos outros relativamente a ti, mesmo sendo boas, podem também ser tanto um elemento de pressão, quando tu mesmo não acreditas nelas.

 

Por outro lado, podem também ser um limite, pois, quem sabe se tu não consegues chegar mais longe? A mesma coisa com as críticas. Quem critica está no fundo a falar de si mesmo, e não necessariamente do elemento criticado.

 

Já viste a complicação que é, tu guiares o impacto dos teus resultados de acordo com coisas tão subjectivas?

 

E além disso, quem disse que um "mau resultado" não pode se tornar em algo bom? Quem disse que um despedimento não te dará coragem para abrires a tua empresa? Ou o fim de uma relação não te fará mais saudável e feliz?

 

Até pode ser que ser grande não seja a tua grandeza... A tua grandeza pode ser outra coisa...

 

Ser curado de uma doença por exemplo. Vais ser enorme quando venceres essa doença.

 

Quando deres o melhor aos teus filhos, serás o grande herói deles.

 

Ou quando servires o teu país como militar...

 

Ou quando inspirares jovens que já não acreditam neles próprios, a alcançarem o seu próprio sentido de grandeza...

 

Para seres grande... Para alcançares grandeza, tens que aprender a confiar no teu discernimento, daquilo que é bom ou que é mau. Não em geral, mas para ti.

 

Os outros? Os outros têm outros "maus" e outros "bons"... Que por serem pessoas diferentes, não fariam sentido para a tua realidade.

PROBLEMAS E SOLUÇÕES

nadia1.jpg

 

Sabes quando temos tendência para encontrar sempre uma desculpa para os nossos erros? Eu arranjava muitas! "Ela é mais baixa que eu, então é mais rápida, por isso não consegui defender!", "Ela é mais alta que eu, por isso não consegui ganhar o ressalto!". 

 

Principalmente com a questão da altura, tive sérios problemas quando comecei a jogar em escalões acima da minha idade, e na seleção. Não estava habituada a pessoas mais altas que eu, era sempre eu a maior.

 

Com o tempo descobri que o meu 1,79m em iniciadas, não me iam fazer um poste quando fosse sénior. Eu tinha que deixar de lado o "eu não sou rápida", ou "não sou suficiente alta". 

 

Pessoas que fazem isso trilham o próprio fracasso! Como é que eu quero jogar mais, ser escolhida, ser convocada, ser opção do treinador, se constantemente digo que não consigo fazer as coisas?

 

Como é que eu quero que as pessoas gostem de estar ao pé de mim, se sintam atraídas pela minha presença, me vejam como um exemplo a seguir, se eu acho que todas as circunstâncias são mais fortes que eu?

 

Quem conta com uma pessoa assim? Ninguém!

 

Em vez de procurar desculpas, comecei a procurar soluções. E nem foi preciso muito treino, só a mudança de atitude começa a alterar qualquer resultado.

 

Eu neste foto resolvi o meu problema de 20 cm de diferença, com a minha atitude! Lembro-me deste jogo... Esta tipa não me tirou nenhuma bola!

 

Podia ser a mais alta do mundo, quem manda no meu cesto sou eu! 

 

Existe uma coisa chamada bloquei defensivo para as "baixinhas" não deixarem as altas ganharem ressaltos! Existe uma coisa chamada musculação para quem se diz fraquinho para fazer um bloqueio! Existe uma outra coisa chamada trabalho de explosão, para quem se diz lento! 

 

Existe uma coisa chamada solução para aquilo a que tu chamas de problema. 

 

 

RAZÃO E CORAÇÃO?.. SEGURANÇA OU PAIXÃO?...

Moscarella_Figura1.jpg

 

A eterna questão do coração e da razão. A quem dar ouvidos? 

 

Vamos saltar uns passos à frente!... Já sabemos que é com a razão que tomamos as decisões mais conscientes, mais adultas, com menos riscos, com mais clareza de pensamento e com mais hipóteses de acertar... 

 

Concordo! Devemos aprender a ser concientes das nossas decisões e usar mais a cabeça em tudo...

 

Em tudo menos uma coisa... Na nossa paixão!

 

Chama-se de paixão àquilo a que não tens palavras para explicar os porquês... Simplesmente o descreves como o que queres fazer para o resto da tua vida. Não há consciência, não há palavras gramáticamente correctas, não se mede esforços, nem se considera os riscos. Apenas se quer, se ama, se entrega...

 

No meio de tanto coração, onde ficam as decisões adultas, as medidas, as contas, o correcto, o seguro?

 

Tudo isso acaba por surgir com naturalidade... 

 

Quando se ama o que se faz, constantemente se pensa numa forma de melhorar, de reinventar, de inovar, de aprimorar...  Investir tempo na nossa paixão não cansa, não esgota.. Pelo contrário, por vezes é o que nos renova as forças! 

 

A perfeição vem da repetição, e a excelência nasce do empenho... Consegues mesmo empenhar-te de forma disciplinada em algo pelo qual não tens paixão?

 

Mas quem a tem, faz as maiores loucuras... Dessas loucuras vêm as noites sem dormir, o abrir mão de praia, cinema, família, lazer, férias, folgas... Onde se chega no meio de tanto abdicar?

 

À perfeição, ao destaque, ao sucesso e à dita segurança. A verdadeira segurança está em fazermos o que amamos, porque é nisso que ganhamos forças para nos tornar extraordinários! 

 

Segurança ou paixão?

 

Se escolheres pelo seguro, poderás nunca viver a tua paixão... Se escolheres a tua paixão, estarás para sempre seguro.

 

Porque na verdade não se escolhe uma paixão.. Ela já faz parte da tua identidade. E só está seguro quem é fiel a si mesmo. 

 

ESTAMOS AQUI!

image.jpeg

 

No primeiro ano que estive em Madrid, foi muito difícil adaptar-me. A meu ver não era suposto estar ali... Tinha recebido um convite para os Estados Unidos, tinha estado lá a treinar, mas em termos burocráticos não pude receber a bolsa completa que me tinham oferecido.

 

Só tinha uma hipótese, ir para Madrid, porque a única universidade a que me tinha candidatado era lá.

 

Lembro-me de chorar imenso no início.. Ia às aulas e não entendia nem metade. Uma particularmente em que o professor não tinha material, nem Slides, nem documentos, nem Manual... O que ele falava era o que saía no exame.

 

Saia de casa de manhã cedo para o primeiro treino, e era das que menos estava em forma.

 

Fazia treino extra e ginásio para perder peso enquanto elas tomavam banho e iam almoçar. Quando elas estavam a sair do refeitório estava eu a ir tomar banho. Não me dava muito com elas também porque não sabia falar espanhol muito bem....

 

Tomava banho, almoçava, pegava nas minhas coisas e ia para as aulas.

 

Saia das aulas a correr para o treino da noite, então também não tinha amigos na universidade.

 

Ia treinar e outra vez estava atrás de todas. Saía do treino e ia para casa logo, porque era longe do centro da cidade, e não podia chegar tarde. Tinha que descansar para o dia seguinte...

 

Estava triste, com tudo aquilo, sentia-me sozinha, não encaixava... Mas eu queria ultrapassar tudo isso e continuar a perseguir os meus sonhos.

 

Um dia tive um momento que mudou a minha perspectiva de tudo o que estava a acontecer.

 

Estava a voltar da universidade, de comboio, e ia sentada de lado, mesmo de frente para uma janela enorme que dava uma vista para uma paisagem natural, onde estava o sol a pôr-se.

 

A universidade ficava deslocada do centro, e no caminho passávamos por uns campos planos...

 

Fiquei a olhar e decidi esquecer tudo de negativo naquele momento... E veio uma Voz:

 

"Estás aqui. Estás a perseguir o teu sonho. Estás a jogar numa equipa da Liga Espanhola, nem todos poderão dizer isso um dia. Estás a tirar o teu Mestrado numa Universidade espanhola, nem todo terão essa oportunidade. Sabes o quanto estás a crescer? Sabes quantas histórias terás para contar? Sabes quantos irás inspirar? Ajudar? Porque não te agarras a isso?"

 

E em 2 minutos comecei a sorrir sozinha, as lágrimas vieram-me aos olhos, e comecei a achar tudo espetacular!

 

Eu estava ali!!!!

 

E tu... Tu estás aí! Quem sabe cheio de circunstâncias a que chamas negativas... Mas lembra-te que aquilo a que possivelmente chamas de mau, pode ser o sonho de alguém.

 

O importante nestes nossos caminhos, é que sempre tenhamos algo para almejar.

 

Insatisfação é sinal que quero crescer, não motivo para me entristecer.

 

Levanta a cabeça! Força! Tu estás aqui!

DISTRAÍDA OU FOCADA?

image.jpeg

 

No primeiro europeu que participei, além da experiência fantástica, do ambiente internacional que nunca tinha estado, daquela pressão adrenalinica (acabo de inventar esta palavra) e de tudo o que envolve as melhores competições, eu aprendi coisas que fazem parte de mim até hoje.

 

Foi o campeonato de sub-16 na Irlanda. Com a Isabel e o Rui. Mas a frase que mais me marcou e mudou a minha atitude naqueles 15 dias de europeu veio do Nuno Manaia.

 

Ele na altura era secretário técnico de todas as seleções nacionais, e mais que isso, era meu treinador no clube em que jogava. Ou seja... Não havia 5 minutos de época sem Manaia, e durante anos foi assim...

 

A maior parte das vezes ele não dizia nada nos estágios da selecção, mas eu sentia um privilégio enorme de estar sempre rodeada de treinadores que faziam tanto a diferença na minha vida.

 

Eu era muito miúda, e preocupava-me com coisas que não tinham nada a ver com o jogo em si. A bancada, a adversária que me empurrou, a colega que não me passou a bola... Mas havia uma preocupação maior naqueles dias, que era a minha aparência.

 

Sempre fui uma Big Size Player, era gorducha, e preocupava-me muito com isso. Então passava o jogo a ajeitar os calções. A puxa-los para baixo para parecerem mais largos.. Além disso passava a vida a tirar a camisa de dentro dos calções, para também parecer mais folgado.

 

Já depois do nosso primeiro jogo do europeu, um dia depois do treino, o Manaia que nunca dizia nada, chegou-se a mim e super mega calmamente, disse:

 

"Estive a ver o vídeo do jogo de ontem, sabes quantas vezes mexeste nos calções? 54 vezes! Vou dizer-te uma coisa, e vou dizer porque sou teu amigo... Assim (pausa longa) não vais longe."

 

Virou costas com aquele andar calmo dele, e foi... E eu fiquei congelada e pregada ao chão.. Não respondi e não reagi... Só absorvi a gravidade da minha atitude, e como poderia deitar tudo a perder se a minha "head" não passasse a estar "on the game".

 

Não foram preciso grande explicações, dentro de campo eu pensava em tudo menos no que tinha que fazer, os meus momentos de desconcentração eram imensos.

 

Naquele europeu eu deixei de ser menina, comecei a exigir de mim essa atenção plena do momento de treino e jogo.

 

Esse é um dos grandes segredos para alcançar objetivos. Eliminar distrações e superar o "ruído"

 

Focando toda a nossa energia no que estamos a fazer, e estabelecendo prioridades de acordo com o que nos faz feliz, não há como as coisas não acontecerem.

 

Pergunta de hoje.. O que te está a distrair?

A SINCERIDADE POUPA ENERGIA

image.jpeg

 

Quando não dizemos e agimos de acordo com o que realmente somos e pensamos, o processo de gestão do comportamento torna-se desgastante.

 

Ultimamente tenho observado que é mais importante para uma pessoa ser aceite pelos outros, do que aceitar-se a si mesma.

 

Por outras palavras, ela acha mais correto agir de acordo com o gosto dos outros, do que lutar pelas suas convicções.

 

Talvez por medo de conflito, ou por medo que os outros também estejam a fazer o mesmo...

 

Acabei agora de ler um livro que fala muito sobre esse tipo de comportamento, o tal comportamento político.

 

Política é quando uma pessoa escolhe as suas palavras e acções baseado em como ela quer que os outros reajam, e não baseado no que ela realmente pensa - Patrick Lencioni em Five Dysfunctions of a Team: A Leadership Fable

 

Achei este livro espetacular, para líderes, para gestores de grupo de qualquer tipo, para pais, para quem faça parte de uma equipa... Creio que para todos.

 

Reparem o desgastante que é gerir constantemente as minhas acções e palavras, para que os outros não se desagradem comigo.

 

Nunca mostrarei quem realmente sou, as minhas reais capacidades, os meus reais talentos..

 

Quando isto acontece em qualquer tipo de equipa, prova que não existe confiança entre as pessoas, que elas não são capazes de admitir os próprios erros por medo de consequências maiores.

 

Esquecem-se que nesses erros está o segredo do progresso.

 

Esquecem-se que é na genuinidade e sinceridade que podemos identificar a real raiz do problema.

 

Além disso, e em primeiro lugar, toda a energia que gastamos em gerir o nosso comportamento, seria focada em trazer e gerar soluções.

 

A maioria dos problemas seriam resolvidos se pudéssemos banir este comportamento político. Eliminaríamos a falsa harmonia, e passaríamos a ter conflitos saudáveis que conduzem ao crescimento!

 

Sentem-se! Conversem! Debatam! Partilhem ideias interessantes! Sejam adultos para entender quando é que a tua ideia é pertinente ou não!

 

Não é muito mais fascinante viver assim?

ARE YOU READY?

image.png

 

 

Quem está a acompanhar os Jogos Olímpicos?

Esta é a competição que me faz gostar de todos os desportos. Todos os desportos, todos os países, uma cidade, os melhores atletas do mundo...

 

Alguém viu o Oscar Figueroa no weightlifting? O colombiano que ganhou o ouro? Viram a reacção dele quando toda a plateia o aplaudia? Foi de arrepiar... Chorava como uma criança, agradecia de joelhos...

image.jpeg

 

E viram, na prova de natação, o Miguel Duran Navia? O espanhol que foi desqualificado por falsa partida. Coitado, quando se deu conta que tinha sido o único a saltar para a piscina, começou a chorar compulsivamente por achar que tinha perdido a sua oportunidade. Uma oportunidade única que é dada a cada 4 anos. Quando já tinha arrumado as suas coisas, deram-lhe outra oportunidade.

image.jpeg

 

Ele acabou por ficar em último... Realmente a concentração dele já não era a mesma de certeza... Aqueles minutos em que ele pensou que já não ia ganhar, perdeu toda a visualização mental de vitória. Concentrou-se apenas no facto de poder competir, e traçou isso como seu objetivo. E assim foi, competiu..

 

E a espetacular vitória de ouro da Rafaela Silva? A judoca brasileira? Que emoção! Vítima de tantas críticas, racismo, pobreza...

image.jpeg

 

O desporto é onde não há desculpas! Todos podem tornar-se grandes com trabalho árduo!

 

Como também é o caso da reviravolta do ténis feminino! Onde a grande Serena Williams foi eliminada pela Elina Svitolina. A ucraniana não conseguia nem acreditar no feito que tinha acabado de atingir!

image.jpeg

 

Mas é isso! Qualquer um que se disponha a trabalhar pesado, a acreditar, a disciplinar-se, pode alcançar qualquer resultado!

 

Podes estar a sair do nada como a Rafaela Silva, ou a combater algo que achas ser maior que tu, como a Elina Svitolina, ou podem até já ter "desqualificado", como ao Miguel Duran Navia... Mas quem decide o teu resultado final és tu!

 

O desporto para mim é o grande exemplo de como levar a vida.

 

Trabalho árduo que ninguém vê, para uma oportunidade decisiva com todos a verem.

 

A minha pergunta é, se hoje te for apresentada a tua grande oportunidade para realizar o teu sonho, estás preparado para a tua grande reviravolta?

 

 

 

 

 

 

Nádia Tavares

NA .png

Nádia Tavares

Psicóloga do Desporto e Performance

 

Desde sempre que fui apaixonada por desporto. Pratiquei natação durante 10 anos, judo durante 8 anos, e acabei por optar deixar estas modalidade quando comecei a treinar basquetebol. 

 

Comecei a jogar no Clube Independente de Basquetbol da Amadora (CIBA), onde fiquei 3 anos. Joguei mais 3 anos no Sport Algés e Dafundo, e num destes anos integrei o Centro de Alto Rendimento do Jamor. Segui para a Madeira para jogar no Clube Amigos do Basquet (CAB). Depois disso treinei uns meses nos Estados Unidos, joguei 1 ano no Real Canoe em Madrid, e terminei a minha carreira no Olivais de Coimbra. 

 

Joguei na seleção nacional desde os 13 anos, e participei em 10 campeonatos europeus, tendo atingido as 100 internacionalizações. 

 

nadia basket.jpg

 

 

Sou licenciada em Psicologia (Universidade da Madeira), com Mestrado em Ciências Forenses, com especialidade em Psicologia Forense (Universidade Autónoma de Madrid). 

 

Trabalhei em Espanha com adolescentes delinquentes durante 18 meses, como educadora de seguimento de medidas judiciais (ARRMI).

 

Mais tarde realizei uma Certificação Internacional em Coaching, em Programação Neurolinguística e também e Coaching Desportivo (Nível I e II). Realizei também uma Pós-Graduação em Psicologia do Desporto e outra em Coaching Psicológico.

 

Hoje dedico-me ao à Psicologia do Desporto e Performance e Ao Coaching, utilizando-o como ferramentas para desenvolver o máximo potencial de quem deseja chegar mais longe, seja no Desporto, ou noutra área nas quais alguém tenha ambição de ser o melhor possível. Faço isto através de sessões individuais e de equipas, de atletas, treinadores, árbitros, e outros agentes desportivos, e também de formações e palestras sobre temas variados dentro da Psicologia e Coaching, desportivo e organizacional. 

 

Onde podes seguir o meu trabalho da DreamAchieve

 

No Instagram

instagram_2016.png

 

No Facebook

 

fb.png

 

No Canal de YouTube 

YouTube-social-icon2.jpg

No Podbean para Podcasts

HPH.png

E também no iTunes 

apple_itune_store.png

 

 

Contacto

ntavares@dreamachieve.pt 

BEM-VINDOS

logo.png

 

 

 

Bem-vindo à DreamAchieve, 

 

Esta página conjuga a Psicologia do Desporto e Performance, o Coaching e as experiências pessoais de atleta de Nádia Tavares, que foi internacional de basquetebol, tendo representado a Seleção Nacional Portuguesa 100 vezes.

Com este triângulo entre a Psicologia, o Coaching e o Desporto, o objetivos destas leituras é poder contirbuir para que alcances o teu máximo potencial, dentro e fora da área competitiva. 

 

 

 

 

Onde podes seguir o meu trabalho da DreamAchieve

 

No Instagram

instagram_2016.png

 

No Facebook

fb.png

 

No Canal de YouTube 

YouTube-social-icon2.jpg

 

No Podbean para Podcasts

HPH.png

 

E também no iTunes 

apple_itune_store.png

EXISTE CAMINHO CERTO OU ERRADO?

image.jpeg

Fala-se muito de caminho certo e caminho errado...

 

A pessoa faz uma escolha e falha em ter sucesso nela, então conclui-se ser uma má escolha.

 

A pessoa faz uma escolha e destaca-se estrondosamente, conclui-se como uma escolha excelente.

 

Nisto começou-se também a notar que, por vezes, as escolhas mais improváveis deram bons resultados, e que as que pareciam excelentes, acabaram sendo motivo de arrependimento.

 

Então saiu a maravilhosa frase que diz "Não existe certo nem errado, existem pessoas diferentes com escolhas diferentes."

 

Concordei com esta frase a 100% até há pouco tempo. Mas acho que existe algo a ter em conta...

 

Existe um caminho errado. O caminho errado é aquele que não nasce em ti.

 

Existe algo que vai além da educação, da convivência, da influência dos que nos rodeiam, do que parece correto, do que dá mais dinheiro, do que chamará mais à atenção dos outros...

 

A essência da pessoa vai além disso. Além de tudo o que está à volta dela.

 

Por isso vemos irmãos que crescem na mesma casa, vão às mesmas escolas, têm os mesmos grupos de amigos, e são pessoas completamente diferentes. Porque não há nada mais poderoso que aquilo que está dentro de uma pessoa.

 

Então eu declaro sim, que existe um caminho errado. O caminho que levas quando te dizem o que é melhor para ti. O caminho que levas quando queres agradar a tua família. O caminho que levas quando te queres simplesmente encaixar na sociedade. O caminho que levas sem prestar atenção ao teu real talento casado com a tua paixão.

 

Ninguém é excelente em algo que não gosta de fazer.

 

O que é que amas? O que farias mesmo de graça? Em que te vês a ser uma referência?

 

Escolhe corajosamente e luta bravamente por isso. Esse é o caminho certo.

Pág. 1/2