Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

|| DreamAchieve || Performance Coaching

Psicologia do Desporto e Performance || Coaching Desportivo e Executivo || Formação

|| DreamAchieve || Performance Coaching

Psicologia do Desporto e Performance || Coaching Desportivo e Executivo || Formação

NADA MAIS IMPORTA - NOTHING ELSE MATTERS

DCDBB970-72C8-4CD2-928C-2819270587A9.jpeg

 

Quando eu era mais nova e tinha a mania que devia experimentar tudo o que os meus amigos faziam, decidi começar a aprender a tocar guitarra clássica. O meu melhor amigo estava num conservatório e tocava super bem, então às quartas à tarde (tarde livre na escola), ele ensinava-me. Depois de me ensinar o básico , começou a ensinar-me músicas. 

 

Uma das primeiras que me ensinou foi uma música dos Metallica chamada “Nothing else matters”. Eu não sabia as notas, aprendia de cabeça, mas eu repeti tantas vezes aquilo, que começou a soar mesmo bem. Repeti tanto que andei alguns meses com a música na cabeça. 

 

Andei vários treinos e jogos com a música na cabeça... Aquilo começou a irritar-me!... 

Irritou-me até eu perceber a utilidade daquela frase - Nothing else matters... Nada mais importa. 

 

Daniel Goleman, Psicólogo americano, escreve no seu livro “Foco” que tão importante como saber escolher o que nos focar, é saber ignorar aquilo que naquele momento não interessa. Se eu sabia isto aos 18 anos? Claro que não! Nem pensava muito nestas coisas, mas nos momentos em que mais fui consistente, persistente, resiliente, estava a aplicar o princípio do “Nothing else matters”! 

 

Nessa idade estava a passar por um momento de prova. Estava pela primeira vez numa equipa da Liga, mas a jogar cada vez menos. Jogava e destacava-me nas sub-19, mas não conseguia ganhar espaço nas seniores. 

 

Então, quando percebi o poder daquela música, e do princípio do “Nada mais importa”, deixei de me importar com o jogar pouco nas seniores, deixei de me importar com o facto de eu e a estrangeira sermos a únicas que fazíamos ginásio e ainda assim ninguém notava, deixei de me importar com o facto de não ter tempo para estudar, e ter deixado de ter tempo até para tocar guitarra e estar com os meus amigos... Deixei de me importar, porque “nothing else matters” a não ser o meu objetivo de melhorar todos os dias, de dar o meu máximo, de não ficar nada por fazer da minha parte. 

 

E não ficou. Para quem não sabe o que aconteceu no final dessa época, além de termos sido campeãs nas juniores, de ter sido a melhor jogadora, ainda fui contratada para jogar (a nível senior) no clube que acabou o campeonato em primeiro lugar. 

 

O princípio do foco, da resiliência, da evolução... Nada mais importa agora, a não ser aquilo que eu posso fazer. 

 

Então dentro de campo podem acontecer mil coisas, pode a bancada estar ao rubro, pode o árbitro estar impossível, pode o treinador estar a gritar só contigo, pode estar a sair tudo mal... Mais nada importa a não ser o que eu tenho que fazer aqui hoje. 

 

Na tua vida pode estar tudo a correr ao contrário do que esperavas, pode ninguém acreditar em ti, pode a concorrência estar a esmagar-te de forma ilegítima, podes estar sozinho... Mas nada mais importa a não ser o teu objetivo. 

 

Mais nada importa a não ser tu e aquilo que está nas tuas mãos. 

 

Nothing else matters but your dream. 

 

 

 

 

 

 

Segue-nos no Facebook

fb.png

 

Informação sobre Eventos e Formações 

Apresentação.jpg

 

Ouve o nosso Podcast no Podbean

HPH.png

 

E também no iTunes 

apple_itune_store.png

 

 

NETTA BARZILAI

52a6d57b863eba5c1fc3c9a2e7bc97a3.jpg

Gostava de aproveitar uma situação atual para refletir sobre a importância que damos a determinadas coisas... Imagina isto - Tens um sonho, um objetivo, lutas por ele, trabalhas, esforças-te, chegas inclusivamente a pensar que não vais conseguir... No caminho deixas de acreditar em ti, mas já não dá para voltar atrás... Então dás a volta por cima e continuas! 

 

Para alcançar coisas grandes, de certeza que não acordas um dia e decides conquistar algo, e uma semana depois “Bum”! Magia! Não... Dura anos por vezes! Sonhamos, a dormir e acordados sobre o que queremos... 

 

Netta Barzilai também teve a sua história de luta e superação. Também se deve ter imaginado milhares de vezes à frente de milhares de pessoas. E chegou o dia! Passou as fases todas e chegou o dia da grande final da Eurovisão. 

 

O sonho torna-se realidade. Ela ganha. Mas espera!... Em vez dos aplausos que ela imaginou milhares de vezes, recebe críticas, comentários sarcásticos e maldosos, e pessoas a julgarem inclusivamente a sua aparência. 

 

Quando ela recebe o prémio diz: “Obrigada por terem aceite as diferenças que há entre nós.” 

 

Mas este agradecimento pelos vistos não foi para todos. Mas sem me querer manifestar muito sobre o preconceito, gostava de me focar nos assuntos que costumo falar. 

 

Um dia, tu vais conquistar o teu sonho, o teu objetivo. E acredita, vão haver pessoas a ter esta reação ao teu sucesso também. 

 

Uma vez a minha mãe estava a ver um jogo meu, e tinha uma pessoa perto dela a falar mal de mim, e de tudo o que eu fazia no jogo. Mesmo quando eu marcava pontos, e nesse jogo fartei-me de marcar. Quando a minha mãe olhou, era uma ex-colega minha de equipa, que tinha jogado comigo 3 anos... 

 

As únicas coisas que tenho a aprender destas situações, e do que tem acontecido desde que Israel ganhou a Eurovisão, é que: 

 

- Independentemente do tamanho do teu sucesso, vai sempre haver alguém a falar mal

- As pessoas criticam as conquistas dos outros quando acham que elas mesmas não seriam sequer capazes de se arriscarem a fazer algo parecido

- E a mais valiosa: Que a tua felicidade nunca sejam as recompensas externas (prémios, aplausos, elogios), porque se forem, rapidamente vais desistir daquilo que gostas. 

 

Que a tua felicidade, seja a felicidade de fazer o que te faz feliz. 

 

Parabéns Netta Barzilai. Parabéns Israel!