Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

|| DreamAchieve || Performance Coaching

Psicologia do Desporto e Performance || Coaching Desportivo e Executivo || Formação

|| DreamAchieve || Performance Coaching

Psicologia do Desporto e Performance || Coaching Desportivo e Executivo || Formação

O MEDO NÃO EXISTE!.. AH NÃO?

DA2B71A4-D5DF-422A-99A0-0B2E3A7D594F.jpeg

Tenho ouvido muito essa afirmação, de que o medo não existe. E visto que existe e não irá deixar de existir, por ser uma emoção básica humana, e inclusivamente necessária para a sobrevivência, faz com que as pessoas que acreditam que o medo não existe, sentirem-se umas fracas quando o sentem.

 

O medo, além de necessário em muitas ocasiões, é inclusivamente informativo. Muitas vezes o que o medo nos está a dizer é que não estamos preparados para algo. Muitas vezes o medo está a proteger-nos de algo.

 

O que acontece também umas quantas vezes é que o nosso medo pode, em algumas ocasiões, ser irracional.

 

Quando tenho medo de fazer uma apresentação em público porque se gaguejar toda a gente vai-se rir de mim, basta lembrares-te da última vez que te ris-te por alguém gaguejar. Em princípio ninguém se r disso. Quando muito sentem um desconforto natural se o gaguejar por nervosismo, persistir.

 

Quando tens medo de sair à rua porque estás muito gordo e toda a gente vai olhar para ti, na verdade as pessoas hoje estão mais absorvidas no seu mundo do que propriamente a ver quem está mais gordo ou mais magro.

 

Quando tens medo de apresentar uma ideia no teu trabalho e a ideia ser má, e de gozarem contigo por causa disso, em princípio a tua ideia não poderá ser assim tão má, senão não estavas no posto em que estás. O máximo que pode acontecer é não quererem usar a tua ideia por alguma outra razão que pode nem estar relacionada contigo.

 

Quando tens medo de rematar à baliza porque se falhares vão achar que não jogas nada, pensa que o melhor do mundo falha mais do que aquilo que marca e o seu valor nunca foi posto em causa.

 

Uma coisa é o medo por causa de uma crença irracional. Outra coisa é o medo humano que todos sentimos. E ainda bem que sentimos.

 

O medo, a dúvida, a raiva, a tristeza, a frustração, a insegurança... São coisas naturais do ser humano sentir. Sentir e aceitar que sente, deixar-se sentir o tempo que necessitar, e seguir com a sua vida sem dramatizar por ter sentido isto ou aquilo.

 

As nossas emoções são assim. “Mexem-se” muito. Não precisas de dar grandes significados a tudo a não ser que és um ser humano normal que sente coisas como todos os outros.

 

O medo existe e nem sempre é para te fazer mal.