Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

|| DreamAchieve || Sports & Performance

Psicologia do Desporto e Performance || Coaching Desportivo e Empresarial || Formação

|| DreamAchieve || Sports & Performance

Psicologia do Desporto e Performance || Coaching Desportivo e Empresarial || Formação

06 Jun, 2018

AGORA É QUE É!

  Há uns dias encontrei-me com uma amiga e ficámos a conversar uns minutos. Entre novidades e mudanças, ela disse-me: “Agora é que termino o mestrado de uma vez. Vou descongelar a matrícula em Setembro e acabar aquilo.”    Lembrei-me que já não era a primeira vez e até me senti a ser menos entusiasta com a notícia, porque já tinha ouvido isso um ano antes. E outras vezes... Ela é da minha idade.    Agora é que vou começar a ler mais. Agora é que vou começar a (...)
  Quando eu era mais nova e tinha a mania que devia experimentar tudo o que os meus amigos faziam, decidi começar a aprender a tocar guitarra clássica. O meu melhor amigo estava num conservatório e tocava super bem, então às quartas à tarde (tarde livre na escola), ele ensinava-me. Depois de me ensinar o básico , começou a ensinar-me músicas.    Uma das primeiras que me ensinou foi uma música dos Metallica chamada “Nothing else matters”. Eu não sabia as notas, aprendia (...)
14 Mai, 2018

NETTA BARZILAI

Gostava de aproveitar uma situação atual para refletir sobre a importância que damos a determinadas coisas... Imagina isto - Tens um sonho, um objetivo, lutas por ele, trabalhas, esforças-te, chegas inclusivamente a pensar que não vais conseguir... No caminho deixas de acreditar em ti, mas já não dá para voltar atrás... Então dás a volta por cima e continuas!    Para alcançar coisas grandes, de certeza que não acordas um dia e decides conquistar algo, e uma semana depois (...)
“Vai ter que ser internada” – Disse-me a médica depois do resultado das análises voltarem.   “Não posso, amanhã tenho uma reunião importante, e vou trabalhar.. Não posso ficar aqui.” – Disse eu…   Às vezes estamos tão envolvidos com as nossas vidas, que parece que não ouvimos bem. Parece que a correria do dia-a-dia nos cega o discernimento.   Estava com tantas dores, que não conseguia andar direita.. Então fui às urgências… Dizem-me que tenho que ser (...)
  Há uns dias atrás estive presente num evento da Prozis (Prozis Meet Up 2018) para falar sobre Motivação, um tema que a mim especialmente me dá algum receio falar... As pessoas procuram fórmulas mágicas para estarem motivadas e depois de perceberem que não é bem assim, desiludem-se um pouco com aquilo que tenho a dizer sobre Motivação.    Antes de mais estive imenso tempo para decidir o que ia dizer... Como ia inspirar pessoas em apenas 15 minutos a falar de um tema tão (...)
  Estávamos em preparação para o europeu de sub-20, já numa fase de fazer alguns jogos-treino internacionais. Os árbitros conheciam-me por reclamar e ser muito reativa às decisões deles que eu não concordava... Era a minha forma de libertar alguma tensão também. Neste jogo foi diferente. Eu era capitã de equipa, mas não foi por isso... Havia outro motivo.    Acaba o jogo, e um árbitro, bastante conhecido no basquete até hoje, aproximou-se disse: "Ouve lá!" - com um (...)
  Uma expressão muito usada por treinadores, ou por alguém que é responsável por ensinar ou educar alguém é: “Estou farto de dizer a mesma coisa.” Ou “Quantas vezes já te disse?...”   Simone Biles, ginasta americana que ganhou várias medalhas nos últimos Jogos Olímpicos, disse: “A confiança vem com o treino.” Até digo mais, e o óbvio, não só a confiança, como a habilidade automática. De se treinar, treinar e treinar, há movimentos que se tornam (...)
    No outro dia passei este vídeo numa formação, para demonstrar aos participantes, que eram todos treinadores, o que era ir até ao limite.   O que é necessário para que alguém, no seu perfeito juízo, se esforce de tal forma ao ponto de desmaiar, cair, ficar sem forças? O que é necessário para que alguém chegue ao seu limite? E o que é realmente o limite?   Aquele rapaz que desmaiou a correr na passadeira, hoje é Personal Trainer... Qual o elemento secreto que fez (...)
  Ia a caminho de um jogo onde sabia que podia mostrar o meu valor. Estava “cheia de pica”, estava a caminhar para o pavilhão aos saltinhos, a ouvir as músicas que mais me ativavam na época. Imaginei tudo na minha cabeça. Ia ser difícil parar-me hoje, ia estar mais ativa, sem paragens no ataque, atenta para antecipar todos os movimentos do adversário. Sabia o Scouting de cabeça e estava mesmo com vontade de defender a americana da equipa adversária.   Imaginei o pavilhão a (...)
    “No início do ano, quando vim para cá, sabia que tinha tomado uma boa decisão, porque estava a evoluir... Mas agora há umas semanas, talvez um mês e meio, parei, estanquei... Não sei se foi bom ter vindo para cá afinal.”   Atleta com clara desmotivação, triste e com a prestação abaixo do normal. A apatia era tal que eu já não conseguia distinguir se era o mau desempenho que gerava a tristeza, ou se era a tristeza que fazia com que treinasse e jogasse mal.    Acha (...)