Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DreamAchieve

Psicologia, Coaching PNL e Desporto

DreamAchieve

Psicologia, Coaching PNL e Desporto

EU DIGO O QUE PENSO!

image.jpeg

Há umas semanas atrás escrevi sobre a necessidade da sinceridade, de agirmos de acordo com o que acreditamos e somos, e como pode ser desgastante tentarmos agradar a todos.

 

Para ler clicar em: http://dreamachieve.blogs.sapo.pt/a-sinceridade-poupa-energia-9576

 

Depois desse artigo algumas pessoas perguntaram-me se o facto de dizerem o que pensavam não poderia gerar conflitos. Algumas deram-me exemplos em concreto de terem tentado ser sinceras, de terem dito o que pensavam e de terem tido problemas.

 

A primeira pergunta que fiz foi: "Como é que disseste o que pensavas?"

 

Lá porque dizemos o que pensamos, não quer dizer que não aprendamos a falar de forma correta.

 

A segunda pergunta que fiz foi: "O que é mais importante para ti? Conflito interno ou conflito externo?"

 

Isto porque, ainda que aprendas a comunicar corretamente, há sempre pessoas que não gostam de ser desafiadas.

 

Ser sincero, ou que alguém te incentive a ser, não é pretexto para má educação. Existem pessoas que usam muito a frase "Eu sou mesmo assim, digo o que penso, quer gostem, quer não." Isso sim, seguramente irá gerar conflitos.

 

A comunicação é a chave para as boas relações, em qualquer contexto. Tratar a minha realidade como a verdade absoluta, pode ofender a quem me ouve, e quebrar qualquer tipo de empatia que possas querer obter.

 

O meu ponto de vista deve ser exposto como isso mesmo, um ponto de vista. Pode resultar para mim e não para outra pessoa.

 

O importante é que não te deixes levar por pontos de vista que não acreditas só para "facilitar" certas situações. Por outro lado, não podes esperar que todos estejam de acordo contigo.

 

Cada pessoa tem o seu "mundo mental", a sua realidade, as suas experiências, as suas opiniões.

 

Agora que já aprendeste a expôr o teu mundo, vamos aprender a respeitar o do outro.