Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

|| DreamAchieve || Performance Coaching

Psicologia do Desporto e Performance || Coaching Desportivo e Executivo || Formação

|| DreamAchieve || Performance Coaching

Psicologia do Desporto e Performance || Coaching Desportivo e Executivo || Formação

EXEMPLOS E REFERÊNCIAS!

260-076 c.jpg

 

Ainda me lembro quando era mega fã do Kobe Bryant... Queria apanhar os jogos todos dele para decorar o trabalho de pés que ele fazia. Ia para o treino experimentar, treinar, repetir vezes sem conta o que tinha visto no jogo dele. Depois de um tempo, o movimento que eu mais treinava, começou a ser naturalmente o meu ponto forte. 

 

Quando começamos a praticar alguma modalidade, e começamos a construir objetivos e a imaginar um futuro, também começamos a procurar referências. Pessoas que sejam um exemplo, e que se assemelhem àquilo que desejamos alcançar. 

 

Quando esse modelo é encontrado, pode acontecer de se começamos a falar muito dele, de usar as mesmas roupas, penteado, forma de andar. Dentro de campo queremos fazer os mesmos gestos, ter as mesmas reações, dizer as mesmas frases. Este comportamento é adotado na esperança de termos os mesmos resultados da pessoa que dizemos ser fã. 

 

Mas isso não chega. Nem de perto nem de longe. O segredo da modelagem (termo usado para "imitar" um modelo na esperança de nos tornarmos como ele), não está em observarmos os resultados que o modelo teve ou tem. Se repararmos o resultado é uma consequência da identidade, valores, objetivos, forma de estar, atitudes diárias, e até do contexto onde nos encontramos. 

 

Se realmente queremos alcançar o que o nosso modelo alcançou, temos que FAZER o que ele fez para chegar a esse nível. Queremos modelar resultados sem modelar comportamentos. Queremos ser campeões, sem fazer o que os campeões fazem. 

 

Muita gente fala, e quer ser como o Cristiano Ronaldo. Imitam o penteado, o estilo, a forma de estar em campo, os festejos... Poucos fazem o que ele faz. Poucos treinarm as horas que ele treina, com a intensidade que treina, e poucos têm o cuidado que ele tem com a alimentação, descanso e recuparação ativa. Poucos são capazes de não se deixar afetar pelas coisas negativas como ele.

 

Muitos também falam do Michael Phelps, que ganhou algumas dezenas de medalhas, entre Jogos Olímpicos, Mundiais, e outras competições. Poucos sabem que durante 5 anos, ele treinou 8 horas por dia, sem um único dia de folga. Isto são 1826 dias sem descanso. São 56 horas de treino por semana, e são 14608 horas de treino em 5 anos. O corpo dele tornou-se numa máquina. Quem sabe por vezes ao sexto dia de treino na semana, exijas descansar sempre o sétimo. Ou quem sabe, quando treinas mais de duas horas, já é horrível para ti. Ao ter um descanso por semana, no último ano treinaste menos 52 vezes do que ele treinaria. E mesmo que treines as sete vezes, apenas a treinar duas horas por dia, treinaste menos 42 horas que ele por semana. Entendes a diferença?

 

Muitos falam da eficácia do Stephen Curry, e a cada jogo querem saber quantos pontos é que ele marcou desta vez. Ninguém pergunta quantas séries de lançamentos ele faz nos treinos, ou quantos lançamentos ele se obriga a si mesmo a marcar antes de sair do pavilhão. 

 

"Mas oh Nádia, estás a falar de estrelas de topo, assim também é difícil..." Então mas não são estas as pessoas que tu admiras? 

 

Se tens um modelo, acho excelente. Uma das técnicas de Treino Mental e Coaching, é encontrar alguém que se admire, e começar a modelar o comportamento dessa pessoa. O problema está em querer alcançar o que ela alcançou, sem fazer o que ela fez. Quando analisas o que essa pessoa faz, é aí que encontras o teu real modelo, porque resultados de topo, todos queremos. Pagar o preço, poucos querem.  

 

Esta é a razão da frustração de tantos atletas, sonham muito, fazem pouco. Querem marcar mais pontos que os outros, mas treinam o mesmo que os outros. Querem correr e saltar mais que os outros, mas treinam à mesma intensidade que os outros. Querem chegar mais longe que os outros, mas não têm disposição para fazer nada além daquilo que lhes é pedido. Não há iniciativa nem criatividade, simplesmente sonham sem fundamento prático. 

 

Pergunta-te quanto é que estás disposto a dar pelo teu sonho, quão envolvido estás naquilo que tens que fazer, e quanto estás disposto a pagar. 

 

Se a tua resposta é pouco, tenho uma novidade para ti... Não tens referências, tens ídolos, e és um mero fã. 

 

Se a tua resposta é dar o que for preciso, apenas te aconselho a que procures saber o que as tuas referências fizeram, e que além de tudo o que já imitas, imites ou superes isso também. 

 

Depois desfruta do caminho, e vê o que acontece! 

 

 

 

Segue-nos no Facebook da DreamAchieve 

fb.png