Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

|| DreamAchieve || Performance Coaching

Psicologia do Desporto e Performance || Coaching Desportivo e Executivo || Formação

|| DreamAchieve || Performance Coaching

Psicologia do Desporto e Performance || Coaching Desportivo e Executivo || Formação

QUEM MANDA SOU EU!

CB6070A4-BBF2-4B27-9F2C-BCA4DA3E0505.jpeg

 

Estava à espera de ser convocada para a seleção. Tinha feito os estágios todos, tinha dado o meu melhor, tinha-me esforçado mais que o normal. Tinha o europeu do meu escalão garantido, mas queria ir a este, que era do escalão acima.

 

Depois do último treino antes da convocatória final, nem parecia eu. O ser humano quando se sente em perigo, entra em modo de sobrevivência e vai buscar forças onde não tem devido a descargas de adrenalina. Acho que nesse dia fui buscar forças onde não tinha, porque não ir àquele europeu era como morrer para mim.

 

O pior destas convocatórias é que ninguém te explica. Simplesmente saem. Vais ver com ansiedade e não vês o teu nome. Olhas outra vez, e não encontras. Começas a achar que pode ter sido engano. Esperas que te liguem para explicar. Nada.

 

É nessa falta de explicação que muita gente se destrói.

 

Numa entrevista de emprego sem resposta, num projeto que não avançou, numa pessoa que tu gostas que nunca mais te disse nada, numa oportunidade para a qual estavas empolgado que simplesmente não aconteceu...

 

São várias as situações em que a última é “Depois digo-te alguma coisa” e ficamos na expectativa, dependentes do que nos poderão dizer, dependentes do “sim” ou do “não”...

 

Quando não há um nem outro, é aí que começamos a dar significados destrutivos a tudo. Começamos a achar que nada vale a pena, que não somos bons o suficiente, que não vale a pena ter esperança.

 

Sofri imenso na vida por estar à espera de alguém ou de alguma coisa. Então decidi há uns meses atrás uma coisa: Quem manda sou eu!

 

Eu é que sei o significado que dou a um acontecimento, quando não há uma explicação para as coisas. E a explicação que normalmente dou é: Neste momento isto é o melhor para mim.

 

Neste momento este projeto, este trabalho, esta pessoa, não vai ser bom para mim, então é melhor assim. Tudo acontece o por uma razão e no momento certo.

 

Pego nesta explicação, na minha explicação, e não fico à espera que “me digam alguma coisa”. Continuo a minha vida, continuo a procurar oportunidades, a plantar sementes. Nem todas dão frutos, mas alguma vai dar.

 

Não esperes por ninguém. Se acontecer, ainda bem! Se não acontecer, ainda bem também! Quem manda és tu!

 

Não pares! Continua!