Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

DreamAchieve

Psicologia, Coaching PNL e Desporto

DreamAchieve

Psicologia, Coaching PNL e Desporto

STEP UP!

IMG_0349.JPG

 

Campeonato da Europa de sub-20. Jogo conta a Suécia. Pensávamos que ia ser um jogo quase impossível de ganhar, mas quando faltava 1:18 para o fim, estávamos a ganhar por 1 ponto.

 

Vamos para o ataque e sabíamos que tínhamos que marcar. Aquilo podia determinar se íamos ficar mais perto da vitória, ou se íamos dar oportunidade às suecas de ficar a ganhar no ataque seguinte.

 

A Larisse pede a jogada, bola no extremo... Bloqueios, bloqueio duplos, cruzamentos, passe, passe, passe... Recebo a bola do lado esquerdo do campo a 45 graus. Não vejo ninguém a abrir linha de passe. Estou um passo atrás da linha de triplo e olho para o cesto. Finto, a defesa não reage. Não pestanejei! Lancei.. 3 pontos na cara dela! Festejei! Não me contive!Estamos a ganhar por 4 pontos a 1:04 do fim.

 

Ataque das suecas e consigo roubar a bola. Vamos para o ataque e marcamos de novo! Festejamos! O meu coração estava a bater rápido e estava com borboletas no estômago. Aquela vitória ia mesmo acontecer.

 

Elas metem 2 pontos e aproximam-se! Vamos para o ataque e a Palongo marca mais dois pontos. As suecas voltam e marcam. A Aicha faz-me uma assistência e volto a marcar 2 pontos. Elas perdem a bola. Festejamos mais uma vez!

 

Está ganho! Elas voltam a marcar mas já não importa! Abraços, gritos, vitória histórica por 4 pontos.

 

Fico a pensar naquele momento em que lancei de 3 pontos. Tão longe. Com a defesa em cima. A ganhar apenas por 1. Um risco. Muito mais seguro seria procurar um lançamento mais perto.

 

E se falhasse? Teriam elas marcado depois? Teriam elas começado a festejar e nós a esmorecer? E se tivesse deixado mal a minha equipa? E se tivesse arriscado e passado vergonha?

 

Essas são as perguntas que normalmente fazemos não é? E se não conseguir? E se falhar? E se não correr bem?

 

Transformar os medos em motivação depende apenas de um pequeno ajuste! A minha sugestão, é que continues a perguntar "E se?", mas muda a direção da pergunta.

 

E se correr bem? E se eu conseguir? E se eu marcar? E se eu mudar o rumo disto tudo?

 

Imaginaste? É imaginando que vai acontecer, que fazemos alguma coisa acontecer!

 

Falo muito sobre isto com os meus clientes de coaching. Em todos os casos a pessoa consegue criar uma lista de soluções novas, e de ações viáveis que pode começar no momento. Apenas imaginando o que pode acontecer de espetacular, é que tomamos decisões audazes que nos destacam!

 

Às vezes é só isso que falta! Temos que "Raise to the ocasion!" Sabes? Step Up! Dá um frio espetacular na barriga estes riscos na nossa vida!

 

E sinceramente... Não correres esse risco, isso sim é que se tornará um risco!

 

Então vá!... Step Up! Lança!